domingo, 30 de agosto de 2015

San Andreas (2015)

Acabei de ver: San Andreas (2015)

Acho que os filmes catástrofe acabam por estar sempre na moda e não cansam se não aparecerem uns atrás dos outros. Isto principalmente numa altura em que o digital e o CGI dão as cartas todas na produção destes filmes. San Andreas é isso mesmo, um filme catástrofe competente que serve o proposito de entreter e em que a historia é um elemento secundário.

O elenco é bastante "bom" se dissermos que a mãe é a Carla Gugino e a filha a Alexandra Daddario. Que dupla! Já o pai, marido e herói, é o "The Rock" que aqui é um bombeiro que sabe pilotar qualquer "especie" de veículo motorizado...eheh ;) A historia leva-o até São Francisco para recuperar a sua filha...

Efeitos e ambiente de catástrofe muito bem feitos mas com ausência de violência ou de sangue nas cenas de destruição onde o caos reina por completo. Não faltam também cenas em que a população se "rouba" umas às outras e ainda com tempo para aparecer uma Kylie Minogue num papel bastante pequeno. Destaque também para a cena de abertura do filme que esta muito bem "apanhada":


 San Andreas é um filme para entreter num serão ou numa tarde familiar.

terça-feira, 25 de agosto de 2015

New WeTek Core 4K

Querem uma box Android e ainda não se decidiram pela Wetek Play?

Então é melhor esperarem mais umas semanas e optarem antes por esta:


Android 5.1, OpenELEC, Lubuntu e 2GB de ram!!! E claro 4K e H265 ;)


quarta-feira, 19 de agosto de 2015

Linha de comandos de linux... outra vez

Esta é daquelas coisas básicas que por mais anos que cá andamos neste mundo de informatica, percebemos que estamos continuadamente aprender. O pouco que já sabemos não é nada comparado com o que podemos aprender.


Lembro-me aqui há uns anos de ter um programinha instalado então no Windows (sim já foi utilizador desse sistema operacional), que só servia para catalogar em listas pastas ou melhor o conteúdo de pastas e subpastas em ficheiros de texto. Isto claro numa altura sem nuvens computacionais e em que os discos rígidos tinham um espaço muito mais limitado. Era preciso armazenar os ficheiros em CDs ou DVDs e era preciso ter algo para perceber rapidamente que o CD X tinha isto e aquilo. Listas de texto que passariam a folhas de excel mais organizadas. Acho que todos nós fizemos um pouco disto...

Não há muito tempo atrás imaginem que descobri e claro que não sabia... ser possível de uma forma tão fácil passar a informação de pastas para listas.txt através da linha de comandos só com meia duzia de caracteres digitados. Opá pensei logo belos tempos hein... 

Através da linha de comandos de linux existe um comando que serve para listar visualmente na consola pastas e subpastas. O comando é daqueles que aprendemos inicialmente nestas andanças.. o "ls". E sim, existe um comando similar para Windows e tudo isto pode ser feito nesse ambiente na linha cmd também.

Se digitarmos então o comando "ls" da seguinte forma:

ls > conteúdo.txt

É criado um ficheiro chamado de conteúdo.txt com tudo listado nesse ficheiro que se encontra na pasta onde foi digitado o comando. Tão fácil pá.. ;)

Claro que sabendo isso, podemos depois usar mais opções do comando "ls" para termos se assim o entendermos, mais informação na lista não só os nomes, mas o tamanho dos ficheiros, a data de criação, permissões...etc..etc. 

Digitando então:

ls --help 

E temos então às opções que podemos utilizar.... que são varias:


Usando então algumas dessas opções, quero por exemplo listar pastas e subpastas na minha "home" com o tamanho em KB de cada ficheiro. Seria então o seguinte comando:

ls /home/nasp/ -R -s -k -h > conteúdo.txt

Com isto acabo por perceber se é que ainda tinha duvidas - que por mais evoluídos que sejam os computadores, os tablets, os smartphones e os seus sistemas operativos - será que alguma vez vamos parar de olhar para aquele fundo preto da linha de comandos ?

terça-feira, 18 de agosto de 2015

Rare Replay

A Rare que comemora este ano 30 anos de existência lançou em comemoração uma jogo para a Xbox One intitulado de Rare Replay. 

Neste Rare Replay encontramos nada mais nada menos do que 30 dos melhores jogos da Rare (só falta mesmo os Donkey Kong, e o Goldeneye) numa colectânea de luxo com muitos extras e que ficará bem em qualquer coleção de jogos Xbox One.

É engraçado que ao vermos os jogos dentro deste pacote percebemos que esta Rare é hoje praticamente desconhecida e sem o peso de outrora. Longe vão os tempos do Battletoads da NES, do Donkey Kong da SNES, do Goldeneye e de tantos outros na Nintendo 64. A Rare andou sempre de mãos dadas com a Nintendo entre "1994-2001" período de ouro da empresa precisamente no final da SNES e na época da Nintendo 64 de onde saíram os seus maiores sucesso comercias.

Há quem diga "incluído eu" que a Nintendo 64 foi uma consola de duas empresas!! A Nintendo e a Rare que lançaram uma quantidade de jogos/qualidade que nenhuma outra consola da historia teve. O catalogo da Rare na N64 é qualquer coisa de impressionante... isto dito claro por um fã da Rare desses tempos, eles eram os melhores. Essa mesma pessoa "eu" que considera... Perfect Dark como o jogo que mais gostei de jogar. Pessoalmente é o meu jogo favorito de todos os tempos. Um jogo que podem re-jogar ou descobrir neste Rare Replay...

segunda-feira, 17 de agosto de 2015

Cartão SD dos "Chineses" com escrita lenta

Há algum tempo atrás adquiri um daqueles cartões "generosos" em tamanho por uma dezena de €uros na AliExpress. Um MicroSD de 128GB por cerca de 11€!! Vamos lá ver o que daqui sai...


Bem este é daqueles negócios a evitar mesmo. Desde não conseguir formatar o cartão em mais nada do que fat32 - Este não é reconhecido em um par de maquinas fotográficas que experimentei - Até uns estonteantes 1.2MB/s de velocidade de escrita..... Bem aquela das maquinas é de proposito... olha guardar às fotos de ferias numa relíquia destas. Só para quem quer mesmo problemas ;)

Quase, quase a desistir do cartão quando lá arranjei serviço para ele... Mas ainda havia um problema.! Como copiar para lá os ficheiros se alguns até se "perdem" nas transferências devido a velocidade de escrita tão limitada que o cartão têm.

A boa linha de comandos de Linux e o comando scp têm uma opção para resolver isso...

O parâmetro -l limita a velocidade de copia de ficheiros em kbps. Assim usando este comando podemos limitar a transferência de ficheiros para uma velocidade máxima um pouco inferior a capacidade de escrita do cartão. Parece-me bem!

Exemplo:

scp -l 9000 -r /media/videos /media/sdcard/

Este comando em cima copia todas as pastas dentro de videos para dentro da pasta sdcard a 9000kbps que são 1.13MB/s. A esta velocidade demoramos mais de dia e meio a encher os 128GB no cartão!!

domingo, 16 de agosto de 2015

FFVII: Re-Imagined

E se o clássico jogo da PSX fosse "re-imaginado" num jogo de luta 2D ao bom estilo de Streets of Rage e Final Fight ? Foi isso mesmo que um grupo de fãs dedicados fez...


Por agora só existe ainda um nível completo que pode ser desde já jogado via browser ou se descarregarem o executável para o vosso PC! O jogo como esta, têm já muito boa pinta e que se os responsáveis não forem "apertados" pela Square Enix temos jogo!!


quinta-feira, 13 de agosto de 2015

Raspberrys, Overclock, RetroArch e Tekken 3

Se pensavam que eu andava já com os meus Raspberrys encostados, estão muito enganados. Tenho trazido poucas novidades aqui para o blogue, mas continuo a gostar de partilhar configurações e experiencias que vêem do bichinho de gostar de mexer nestes gadgets tão populares hoje em dia.

Já deixei aqui no blogue algumas dicas de overclock para retirarmos o máximo dos Raspberry. Hoje trago uma atualização em que incluímos overclock também do leitor de cartões do Pi com ganhos de leitura que vão até aos 100%!! Sim podemos dobrar a velocidade de leitura no cartão de memoria, no entanto a velocidade de escrita essa mantem-se praticamente igual.


Estas configurações já foram testadas por mim em meia duzia de Raspberrys e funcionou em todos eles. Uso só cartões Class 10 da sandisk, fáceis de encontrar por exemplo nas Wortens. Os resultados podem no entanto variar de Pi para Pi e conforme, o cartão, alimentação, etc. Convém sempre é efetuar um backup do cartão antes de começar com este overclock porque se der para o torto o cartão fica corrompido e necessita ser formatado.

sexta-feira, 7 de agosto de 2015

quinta-feira, 6 de agosto de 2015

Raspberry Pi2 com HiFiBerry Digi+


Caixa em acrílico para acomodar a placa de som HiFiBerry Digi+ nos Raspberrys modelos B+. Esta caixa veio substituir a anterior que tinha sido sofrido uma pequena modificação caseira.

A caixa custa praticamente metade do preço da original, é resistente e têm um acesso fácil para trocas de cartões. O acesso para entrada digital óptica é que fica montado um pouco fundo demais. Pode trazer alguns problemas dependendo do comprimento/ponta do vosso cabo óptico! Eu tive que acabar por trocar o meu.




domingo, 2 de agosto de 2015

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...